Parque Estadual Serra do Mar - Núcleo Caraguatatuba


31/01/2009
Parque Estadual de Caraguatatuba

Luciane Teixeira

São quase 14 mil hectares de Mata Atlântica. Floresta cerrada, cortada pelo Ribeirão do Ouro e pelo Rio Santo Antônio, cheia de cachoeiras e de caminhos antigos. Terra de tropeiros, que no século XIX desciam as encostas da Serra do Mar com suas tropas de burros para fazer o comércio entre Minas Gerais, passando por Paraibuna, e o Litoral Norte Paulista. Para os amantes da natureza, duas trilhas mais acessíveis já estão disponíveis para quem curte caminhar em plena mata e tomar banhos nas águas geladas.

Por incrível que pareça, tudo isto está aqui pertinho do centro de Caraguatatuba, aos pés da Rodovia dos Tamoios. Trata-se da antiga Reserva Florestal de Caraguatatuba, criada pelo então governador Jânio Quadros, em 1956. A área foi depois incorporada ao PESM (Parque Estadual da Serra do Mar), criado em 1977, que soma 50 dos 315 mil hectares protegidos pelo parque.

As trilhas recebem escolas da região desde 1987. Em 2008, foram 3.284 visitantes, 99% deles estudantes. Com uma equipe de cinco monitores contratados em novembro passado, a direção do parque quer ampliar o trabalho de educação ambiental e recreação nas suas trilhas. “Estamos montando outro projeto, o Pesquisador Mirim, cujo objetivo é trazer estudantes na faixa de 8 a 17 anos para um dia de atividades no parque, o que inclui algumas horas dentro de um laboratório aprendendo sobre este ecossistema”, conta o engenheiro florestal Ivan Suarez da Motta, diretor do Núcleo.

Hoje o trabalho de educação ambiental e ecoturismo utiliza duas trilhas principais:
a do Jequitibá, com 1.2 km, tem uma piscina natural ótima para banhos e dela se podem avistar diversos jatobás com até 30 m de altura e, a do Poção, com 3.5 km, parte da área de lazer do parque e dá acesso a várias piscinas naturais.

Serviços:

Grupos de até oito pessoas podem agendar um passeio pelas trilhas com 24 horas de antecedência, pelos telefones (012) 3882-5999 ou 3882-3166. As visitas podem ser feitas de segunda a domingo, entre 9 e 12 horas, ou entre 13 e 16 horas. É cobrada uma taxa simbólica de R$ 2,00 por pessoa. A equipe recomenda que o visitante vá vestido de tênis, calça comprida e camiseta; levando água, lanche e repelente.

Atenção: num parque, você não leva “lembranças”, evita barulhos para desfrutar o ambiente da floresta, traz todo seu lixo de volta, inclusive as pontas de cigarro, tem cuidado para não provocar incêndio, não leva animais de estimação (eles podem transmitir ou contrair doenças), e se mantém sempre na trilha e junto ao grupo. Salvamentos em ambientes naturais são caros e complexos.

2 comentários:

Iraê A. 29 de agosto de 2009 19:43  

Boa foto, Brunão! Belo escrito, Lú!
Vamos salvar o mundo!
Vale!

Rogerio Suarez 13 de abril de 2017 07:01  

Como faço para visitar? Sou Rogerio Suarez, do Rio de Janeiro, sobrinho de Ivan Suarez da Motta.

Postar um comentário

Fundação Florestal

Seguidores

CO² no ar

Fases da lua

CURRENT MOON

Google Earth

Salva Mar Paulista